22 mai 19

Curiosidades: 10 coisas que não sabia sobre a corrida em Berlim

10. O tamanho importa

A capital da Alemanha ocupa uma área aproximada de 37 quilómetros (23 milhas) de norte a sul e 45 quilómetros (28 milhas) de este a oeste, sendo a maior cidade alemã e, com mais de 3,5 milhões de habitantes, é a segunda cidade mais populosa da União Europeia a seguir a Londres.

imagem panorâmica do horizonte de Berlim

9. Sensação ecológica 

Considerada por muitos como a cidade mais verde da Alemanha em virtude do vasto número de parques, bosques, canais e lagos, Berlim possui um grande sistema de vias fluviais com mais de 100 milhas navegáveis e tem mais pontes do que Veneza. 

8. Capital cultural 

Conhecida pela sua arquitetura, artes e ciências, Berlim é reconhecida mundialmente como uma cidade da cultura universal e das indústrias criativas. A capital da Alemanha possui três salas de ópera de classe mundial, a mundialmente famosa Orquestra Filarmónica de Berlim, uma infinidade de teatros e museus, o jardim zoológico mais visitado da Europa e continua a ser o principal centro de investigação e ciência da Alemanha.

7. Pontos turísticos 

Berlim alberga três locais classificados como património mundial pela Unesco: a estrutura mais alta da Alemanha, a Fernsehturm (torre de televisão), e as Portas de Brandeburgo, um dos mais famosos pontos de referência que outrora representou a divisão alemã mas é agora um símbolo de paz e união. 

faça um passeio turístico por Berlim com Nico Rosberg

6. Território familiar 

Mais nenhuma outra cidade foi palco de tantos E-Prix como Berlim que irá acolher a sua sexta corrida de Formula E no dia 25 de maio, e continua a ser o único local que organizou um E-Prix em todas as temporadas desde o início do campeonato de corridas elétricas em 2014. 

5. Ambiente emblemático

O Aeroporto de Tempelhof, que deixou de funcionar em 2008, desempenha um papel importante na história de Berlim. O local é visto como um símbolo de liberdade pelo seu papel no famoso transporte aéreo de 1948/49, quando as forças aliadas abasteceram com mantimentos toda a população da cidade durante quase um ano depois da União Soviética ter bloqueado por completo as áreas ocidentais da capital da Alemanha. Dignatários de todo o mundo reuniram-se no início deste mês em Berlim para comemorar o 70.º aniversário do fim da ponte aérea.

4. Anfitriã experiente 

Para além da Formula E, Berlim tem acolhido inúmeros grandes eventos desportivos internacionais. Mais concretamente, a cidade foi a anfitriã dos Jogos Olímpicos de Verão de 1936 e também foi o palco do Campeonato do Mundo FIFA 2006 e do Campeonato Mundial de Atletismo de 2009. 

mapa da pista do E-Prix de Berlim

3. Circuito de Tempelhof

A pista com 10 curvas e 2,375 km de extensão está localizada na plataforma gigante do terminal do aeroporto, o maior monumento da Europa. Com um piso de elevada aderência, o Circuito de Tempelhof é uma pista difícil de dominar. Conte com um pouco mais de desgaste do que é habitual. 

2. Alemães na disputa

Berlim vai assistir a uma contenda intensa entre os concorrentes locais com equipas e pilotos alemães a disputar o direito de se vangloriarem com a vitória na corrida em casa. A Audi Sport Abt Schaeffler subiu ao pódio em cada um dos quatro últimos E-Prix na capital alemã e dominou em Berlim no ano passado, registando a pontuação máxima (47) graças à pole, à volta mais rápida e à vitória de Daniel Abt, juntamente com o segundo lugar conquistado por Lucas di Grassi. A HWA Racelab, precursora da Mercedes, estará interessada em deixar a sua marca na sua primeira corrida de Formula E em casa, tal como o patrocinador da corrida de Berlim, a BMW i, que em conjunto com os parceiros americanos da Andretti, tentará assegurar um pódio em Berlim pela primeira vez.

Pascal Wehrlein na Formula E em Berlim

Para além das equipas, quatro pilotos alemães esperam impressionar na sua corrida "em casa" no dia 25 de maio. Daniel Abt tentará fazer um "hat-trick" de pódios pessoais em Berlim, depois de ter ficado em segundo lugar na temporada de 2015/16, juntamente com a "limpeza" memorável do ano passado. André Lotterer espera melhorar depois do nono lugar alcançado no seu primeiro E-Prix de Berlim do ano passado, enquanto desta vez Pascal Wehrlein e Maximilian Gunther farão a sua estreia em Berlim para o campeonato de corridas elétricas. 

Jean-Eric Vergne conquista a prova de Formula E no Mónaco

1. A registar 

O traçado do ano passado no circuito do Aeroporto de Tempelhof foi modificado e alongado em relação à temporada anterior e foi Jean-Éric Vergne quem estabeleceu a volta mais rápida com o tempo de 1:09,438 segundos na pista de 2,375 km durante o Treino 2 há doze meses.