08 mai 21

O atual campeão da Costa fica com a Julius Baer Pole Position do E-Prix de Mônaco

Antonio Felix da Costa, da DS TECHEETAH, vai largar na Julius Baer Pole Position do E-Prix de Mônaco 2021 - a segundo na temporada - superando Robin Frijns (Envision Virgin Racing) e Mitch Evans, da Jaguar Racing, com os quatro primeiros separados por apenas 0,059 segundo.

Antonio Felix da Costa (DS TECHEETAH) abriu caminho para a Julius Baer Pole Position com um tempo incrível de 1m31.317s, superando Robin Frijns (Envision Virgin Racing) e o piloto da Jaguar Racing, Mitch Evans, em uma sessão extremamente disputada.

Da Costa vinha atrás do companheiro de equipe DS e vencedor do E-Prix de Mônaco na Temporada 5, Jean-Eric Vergne, e foi mais rápido do que o melhor tempo incrível do francês em 0,029 segundo - abrindo caminho pelas famosas ruas de Monte Carlo e sendo o mais rápido de todos nos setores 1 e 2.

Frijns sentiu que não tinha nada a perder, e uma tentativa de volta limpa não bastou para a pole, embora tenha ficado a apenas um centésimo do tempo de da Costa, e ele mostrou que vai brigar com o atual campeão logo mais no E-Prix às 16h00 CEST.

Mitch Evans (Jaguar Racing) chegou à classificação depois de ter sido o mais rápido no TL2. Ele veio com uma volta incrível para conseguir a terceira posição, a 0,051 segundo da pole.

Vergne largou na pole no circuito rápido aqui na Temporada 5 depois da penalização recebida por Oliver Rowland, e o francês determinou inicialmente o ritmo sendo o segundo piloto a ir para a pista na Super Pole. A precisão rendeu a pole provisória, marca quase 0,2 segundo melhor do que o pole provisório anterior, Rowland.

Maximilian Guenther (BMW i Andretti Motorsport) foi o piloto seguinte a ir para a pista, na terceira participação dele na Super Pole da temporada – mais frequente do que qualquer outro piloto. O alemão tinha muito o que fazer, brigando com seu carro BMW iFE.21 para conseguir um disputado quinto lugar.

Rowland, da Nissan e.dams, foi o primeiro a ir para a pista e fez uma volta aparentemente muito boa, atacando as zebras e usando cada centímetro da pista para conseguir 1m31.547s. Porém, o britânico deixou o pit lane sob luz vermelha, e teve o tempo cancelado – o que o deixou em sexto lugar.

Lá para trás

O líder do campeonato, Nyck de Vries (Mercedes-EQ), desativou acidentalmente o modo de 250 kW do carro na chicane durante a volta rápida, o que o deixou a 1,4 segundo do melhor tempo de Frijns no grupo de classificação e lá para trás, em 23°, no grid da Etapa 7.

"Tem muita ondulação na chicane. Você faz ela com uma mão e a outra fica presa no cockpit, e eu acabei apertando o botão acidentalmente. Como demora 30 segundos para a potência voltar, acabei fazendo metade da volta sem 250 kW. Isso vai exigir uma atualização do software – uma solução relativamente fácil, mas que nunca aconteceu antes."

O companheiro de equipe, Stoffel Vandoorne, larga em 15º e o terceiro na classificação, Sam Bird (Jaguar Racing), não vai ficar muito feliz com o 16º depois de ter estabelecido o ritmo no Treino Livre 1.

Sergio Sette Camara (DRAGON/PENSKE AUTOSPORT) está sempre andando no limite, e o que parecia uma volta rápida terminou com uma batida quando ele perdeu a traseira do carro na última curva na Anthony Noghes – o brasileiro ficou visivelmente frustrado e se perguntando o porquê do giro.

A Etapa 7 do E-Prix de Mônaco começa às 16h00 CEST, a primeira corrida da Fórmula E no traçado histórico completo, talvez no circuito mais famoso do mundo.

Para saber tudo o que acontece no E-Prix de Mônaco, inclusive todos os tempos de sessão e classificações, acompanhe fiaformulae.com/live