15 ago 21

Nyck de Vries e Mercedes-EQ conquistam os títulos mundiais, e Nato vence em Berlim

Nyck de Vries fez uma corrida digna de montanha-russa no grande final da Temporada 7 em Berlim para se tornar o campeão mundial de pilotos da ABB FIA Fórmula E, com Norman Nato (ROKiT Venturi Racing) chegando à primeira vitória, à frente de Oliver Rowland, da Nissan e.dams, e Stoffel Vandoorne, com a Mercedes-EQ garantindo o campeonato mundial de construtores.

Com 13 pilotos chegando à Etapa 15 do E-Prix de Berlim BMW i, um oferecimento de CBMM Niobium, na briga pelo título, e quatro com chances maiores, estava tudo pronto para um grande final frenético, e o que vimos foi Fórmula E em estado puro.

Já na largada, houve drama e coração partido quando Mitch Evans (Jaguar Racing) – talvez o favorito, dado o bom desempenho na classificação e os demais na briga pelo título fora dos 10 primeiros – não conseguiu largar. O pelotão que vinha logo atrás foi forçado a evitar a colisão, mas outro piloto na briga pelo campeonato, Edo Mortara (ROKiT Venturi Racing), não conseguiu desviar do carro da Jaguar e acabou batendo violentamente, deixando a dupla fora da prova, mas felizmente ilesa.

Isso deixou Jake Dennis (BMW i Andretti Motorsport) aparentemente em posição privilegiada, com o líder do campeonato, Nyck de Vries (Mercedes-EQ), atrás na classificação. De maneira incrível, antes mesmo do pelotão fazer a primeira curva, após um período sob bandeira vermelha enquanto o acidente na largada era resolvido, perdemos outro candidato ao título quando o britânico travou as rodas na Curva 1 e acertou a mureta.

E aí a balança pendeu novamente para De Vries, agora em posição confortável, com a Mercedes-EQ parecendo apostar na conquista dos títulos de construtores com Vandoorne na liderança. Passando pela primeira rodada de ativações do MODO ATAQUE, Nato fez valer a diferença e abriu depois de ultrapassar Vandoorne na Volta 10 – o acionamento tardio do ganho de 35 kW pelo belga acabou o deixando para trás entre os seis primeiros.

A briga pelos pontos estava acirrada, e a vitória da Mercedes, com de Vries também nos pontos e ficando em oitavo lugar, foi o suficiente para garantir o título de construtores para a equipe. Em uma disputa com três carros lado a lado, com os da Porsche assumindo a ponta, de Vries e Vandoorne quase se tocaram, mas a dupla conseguiu evitar a colisão.

Nato abriu e deixou o restante do pelotão para trás, apesar de uma paralisação com uma segunda entrada do MINI Electric Pacesetter, quando Antonio Félix da Costa foi espremido por Lucas di Grassi no hairpin - confirmando, de uma vez por todas, que o português teria que passar a coroa adiante. O piloto da Venturi conseguiu uma vitória e tanto, com Rowland chegando em segundo e Vandoorne em terceiro. 

Andre Lotterer recebeu a bandeira quadriculada em quarto, à frente de Alex Sims, da Mahindra Racing, Pascal Wehrlein e um renascido Sam Bird, que saiu do 22° para o sétimo lugar fazendo o possível e o impossível pelas chances da Jaguar Racing’s Team no campeonato mundial – um sinal claro de que, com um pouco mais de sorte, o britânico também poderia estar na briga pelo título neste final de semana.

De Vries continuou na briga em oitavo, com Rene Rast (Audi Sport ABT Schaeffler) fazendo mais uma volta mais rápida TAG Heuer e saindo de 19º até chegar aos pontos.

E, com tudo isso, de Vries conquista o primeiro campeonato mundial de pilotos da Fórmula E, à frente de Mortara e Dennis. Também com o pódio do companheiro de equipe, Vandoorne, a Mercedes-EQ conquista o campeonato mundial de construtores, à frente da Jaguar Racing e da DS TECHEETAH.

A reação do campeão mundial

"Estou sem palavras", disse um emocionado De Vries. "Desculpe estar meio emotivo. Foi uma temporada muito difícil, com altos e baixos. Para tudo acabar na última corrida. Ficamos felizes por todos estarem bem após a largada, mas fizemos uma corrida e tanto. Eu me sentia um alvo às vezes e só queria trazer o carro para casa assim que soube que estava tudo indo bem."

Acompanhe todas as manchetes, os tempos, os bastidores e os resultados do E-Prix de Berlim BMW i 2021, um oferecimento de CBMM Niobium