28 nov 20

Vandoorne: "Os teste de Valência não serão representativos da temporada"

Stoffel Vandoorne, piloto da Mercedes Benz EQ Fórmula E Team, explica o que se pode esperar da pré-temporada em Valência e onde é necessário enfocar.

A ABB FIA Fórmula E iniciou no sábado a pré-temporada para o campeonato 2020-21 com a presença de todas as equipes e pilotos no Circuito Ricardo Tormo de Valência, que nos últimos anos se tornou o cenário habitual para os testes da série de monopostos elétricos.

Para Vandoorne, embora seja importante aproveitar o tempo na pista como preparação para a temporada, que terá início nos dias 16 e 17 de janeiro em Santiago do Chile, o que acontece em Valência não representa uma tendência para as corridas.

“Valência é um dos circuitos onde não é possível comparar nada, porque não é propriamente um circuito específico de Fórmula E, digamos, não é realmente um circuito com paredes, é muito amplo. Não há limites reais na pista, e em termos de eficiência energética, não é realmente o que teremos durante uma temporada normal. Portanto, o que vamos ver em Valência não é nada representativo em relação ao próximo ano”, explicou o belga ao FIAFormulaE.com.

Levando isso em consideração, Vandoorne explicou qual é o foco da Mercedes no momento da pré-temporada: “Nos concentramos muito mais nos procedimentos, na confiabilidade, que já deverão estar bem depois dos testes privados que fizemos. Mas ainda assim não vamos nos concentrar no desempenho, porque as zonas de frenagem e os tipos de curvas em Valência não são realmente específicos da Fórmula E. Então você não pode aprender as coisas corretamente lá”.

A Mercedes será uma das equipes que estreará um novo trem de força para a temporada 2020-21, algo que Vandoorne já vê como um passo à frente do fabricante alemão.

“Concluímos quase todos os testes privados como fabricante e a sensação tem sido muito positiva. Tudo saiu conforme planejado, digamos que não houve grandes contratempos. Acho que isso é o mais importante agora, em termos de desempenho real é muito difícil dizer, até que estejamos com a competição no circuito. Mas estou confiante de que, com o aprendizado que tivemos no ano passado e com os desenvolvimentos de agora, tenhamos dado um passo à frente com o trem de força ", disse.