10 nov 19

Venturi: Massa e Mortara de olho na Mercedes

A Venturi Racing está em alta após a campanha mais bem-sucedida de todos os tempos em 2018/19, e uma nova parceria com a Mercedes deve lançar as bases para novos triunfos. A equipe monegasca permaneceu mais um ano com Felipe Massa e Edoardo Mortara, e a experiente dupla fará o melhor que puder para deixar a nova fornecedora de fábrica para trás.

A Venturi finalmente quebrou o tabu depois de cinco anos no ABB FIA Formula E Championship, conquistando sua primeira vitória no E-Prix de Hong Kong na temporada passada. A vitória foi um dos pontos altos de uma temporada em que a equipe acumulou o maior número de pontos de todos os tempos, graças a mais dois pódios.



No entanto, uma série de problemas de confiabilidade durante a segunda metade da temporada atrapalhou o bom momento e serviu como catalisador de mudanças na pré-temporada. Houve uma nova parceria com a equipe estreante Mercedes-Benz EQ, com a Venturi adotando o trem de força da gigante alemã e seu sistema de refrigeração, chassi traseiro, suspensão traseira, amortecedores, software, eletrônica embarcada e feixes de cabos. A chefe de equipe, Susie Wolff, exigirá o máximo dessa relação e certamente espera abalar as estruturas da Mercedes com o desempenho da sua equipe.

Felipe Massa sabe bem como é enfrentar o poder das Flechas de Prata depois de ter passado pela Fórmula 1; o ex-piloto da Sauber, da Ferrari e da Williams mostrou que ainda tem muito a oferecer com momentos de brilho na temporada passada. O piloto de 38 anos conseguiu um pódio incrível em Mônaco e provou que não perdeu a coragem ao lutar pelo nono lugar em Paris, apesar da chuva que vazava através de um visor quebrado. Porém, o famoso brasileiro também sofreu críticas justas pela falta de consistência ao longo da sua temporada de estreia na Fórmula E e precisa se recuperar com uma boa temporada em 2019/20 para fazer aqueles que duvidam mudar de opinião.


Edoardo Mortara era o homem ao volante na primeira vitória da Venturi na Fórmula E, mantendo a calma enquanto o caos reinava em Hong Kong. Na verdade, o piloto suíço cruzou a linha em segundo lugar, mas estava no lugar certo para ficar com o troféu após a desclassificação de Sam Bird e não ficará nem um pouco chateado em marcar seu nome na história da Venturi. Na verdade, o piloto de 32 anos fez uma péssima campanha após a vitória, abandonando seis das oito corridas seguintes e não conseguindo marcar pontos nas outras duas.

No entanto, Mortara tinha crédito suficiente das duas temporadas pela equipe para ganhar outra chance no campeonato 100% elétrico, e seus laços com a Mercedes – depois de ter ajudado a testar e desenvolver a Flecha de Prata 01 – deixam-no em boa posição para aproveitar ao máximo o novo acordo da fábrica com a Venturi. O ex-campeão da F3 Euro Series é um especialista em corrida de rua e já ganhou duas vezes o prestigioso Grande Prêmio de Macau, e ele espera mostrar, mais uma vez, ao seu veterano companheiro de equipe como é que se faz nos apertados e sinuosos circuitos das cidades mais incríveis do mundo.

Confira o perfil completo da equipe Venturi Racing