25 mai 19

Di Grassi vence a batalha de Berlim, casa da Audi

Di Grassi busca a vitória na corrida de Berlim, casa da Audi, e Sebastien Buemi, da Nissan e.dams, fica em segundo, à frente do atual campeão e piloto da DS Techeetah, Jean-Eric Vergne, em terceiro. Veja como tudo aconteceu. 

Largando na pole, Sebastien Buemi, da Nissan e.dams, liderou o pelotão pelos 2,375 km do circuito de Tempelhof. Saindo do fundo do pelotão, Andre Lotterer, da DS Techeetah, conseguiu se recuperar, pulando para o 16º lugar já na primeira volta. 

O ex-campeão Lucas di Grassi (Audi Sport Abt Schaeffler), tentando ganhar posições largando em terceiro, ultrapassou Stoffel Vandoorne, da HWA Racelab, na Curva 6, com cinco minutos de corrida. Poucos minutos depois, o brasileiro apontou o carro para Buemi na disputa pela liderança, conseguindo a ultrapassagem mais uma vez na Curva 6. 

Em sua corrida de recuperação, Lotterer continuava atacando, chegando ao 15º lugar. Ainda com a "corrida perfeita" espetacular da última temporada na memória, Daniel Abt, da Audi, entrou na briga por um lugar no pódio, conquistando a quarta colocação na Curva 1. 

Ainda em 15º, Lotterer acionou o MODO ATAQUE restando 32 minutos para o final da prova. Novidade na temporada 2018/19, cada piloto pode receber um power boost na corrida passando pela zona de ativação do MODO ATAQUE ao sair do traçado na Curva 6. Cada piloto pode acionar o modo duas vezes, com cada boost (25 kW) durando quatro minutos.     

Faltando 20 minutos para o final, Antonio da Felix Costa, da BMW i Andretti Motorsport, pulou para segundo e entrou na briga com di Grassi em seu Audi tendo Buemi logo atrás, em terceiro. Com as fabricantes alemãs brigando pela vitória em Berlim, somente uma poderia subir ao degrau mais alto do pódio.    

Faltando 17 minutos para o final, Buemi acionou o FANBOOST para se recuperar e ultrapassou da Costa assumindo a segunda posição. Nos 10 minutos finais, Alex Lynn, da Panasonic Jaguar Racing, parou na pista, na linha de largada/chegada, com problemas no eixo traseiro. Com bandeira amarela em todo o circuito enquanto o carro de Lynn era removido, a corrida recomeçou faltando nove minutos e meio para o final.  

Com a corrida afunilando, os pilotos da DS Techeetah tinham se recuperado, com Vergne brigando pelo pódio, ultrapassando da Costa por dentro da Curva 10 e assumindo a terceira posição. Mais atrás, o companheiro de equipe de Vergne, Lotterer, estava com problemas. Apesar de ter ganhado 10 posições desde a largada, o piloto alemão se viu nos boxes por causa de um problema na bateria, terminando a corrida em sua casa mais cedo.

Faltando menos de um minuto e uma volta para o final, Buemi lutou para segurar Vergne em terceiro, enquanto di Grassi mantinha a liderança na última volta, passando diante de uma multidão encantada em seu Audi e-tron FE.05. 

Com uma tentativa de ultrapassagem final, mas sem sucesso, de Vergne, Buemi cruzou a linha de chegada em segundo, à frente do francês e atrás de di Grassi, na vitória da Audi em casa. 

Veja os resultados completos do E-Prix de Berlim BMW i 2019, um oferecimento de CBMM Niobium